Órgãos ibéricos e monumentos religiosos

Localizadas em pleno centro histórico, as Igrejas de São Domingos, São Pedro e São Gonçalo possuem, cada uma,
um órgão de tubos ibérico fixo. Estes instrumentos estavam, até há algum tempo, parcialmente desmantelados e em más condições, tendo sido restaurados, o que lhes devolveu integridade histórica, técnica, estética e musical. Este conjunto de órgãos típicos
da época barroca expressa a dinâmica cultural, social e religiosa existente, sobretudo durante o século XVIII, associada à
presença de várias ordens religiosas e espaços de culto em Amarante.

Este conjunto de órgãos típicos da época barroca expressa a dinâmica cultural, social e religiosa existente, sobretudo durante o século XVIII, associada à presença de várias ordens religiosas e espaços de culto em Amarante.

Hoje, esta concentração de órgãos de tubos ibéricos fixos, a que acresce um órgão portátil (na Igreja de São Gonçalo), coloca Amarante num patamar cimeiro para a realização de concertos de música sacra em espaços religiosos na região Norte de Portugal.

Simultaneamente, algumas igrejas e mosteiros de Amarante têm sido utilizadas para a realização de concertos de música ao vivo, sobretudo de música sacra. Neste contexto, destacam-se os concertos realizados anualmente em monumentos religiosos pela Orquestra do Norte, bem como a programação aqui pontualmente realizada pela Rota do Românico, Festival Mimo e Festival Internacional de Polifonia Portuguesa.