Artes Plásticas

Os cruzamentos entre a música e as artes plásticas em Amarante têm uma relação longa e profunda que remonta, pelo menos, a alguns quadros célebres de Amadeo de Souza-Cardoso (1887 – 1918) em que se encontram amplamente representados elementos musicais e, particularmente, instrumentos tradicionais de Amarante como a rabeca ou a viola amarantina.

Atualmente, estes cruzamentos continuam a ser regularmente estimulados e potenciados, designadamente no contexto do próprio Museu Amadeo de Souza-Cardoso que, frequentemente, propõe na sua programação concertos de música no interior do museu, o que tem permitido um entrecruzamento de linguagens e de públicos.

Paralelamente os célebres quadros de Amadeo com representações de instrumentos musicais são também explorados em projetos pedagógicos com escolas do concelho.

Além disso, outras iniciativas têm sido realizadas, muitas vezes de uma forma mais pontual, tanto pelo Município de Amarante, como por outras entidades locais ligadas às artes e à cultura, e têm também favorecido as ligações entre música, artes plásticas e outras expressões artísticas. A título de exemplo, recorde-se algumas iniciativas da Associação para a Criação do Museu Eduardo Teixeira Pinto que têm promovido o intercâmbio de artistas de Amarante com artistas de fora do concelho, designadamente através do projeto galego-português “Cultura que une”, onde propõem cruzamentos de artistas plásticos com músicos de jazz.

Ao longo dos anos, também a Associação Grupo de Amigos da Biblioteca-Museu Amadeo Souza Cardoso tem promovido, ainda que pontualmente, várias iniciativas que estimulam o cruzamento entre música, artes plásticas e outras linguagens artísticas.